Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Enquete
Você observa em pequenos telescopios (60 a 102mm):
na maioria das vezes
raramente
sempre
nunca
Ver Resultados

Rating: 2.6/5 (218 votos)








Poluição X Magnitude Limite

Poluição X Magnitude Limite

Avaliação e monitoração visual da poluição através da magnitude limite local

Estudos preliminares

Os alvos devem ser observados próximos ao meridiano local - no máximo 15 graus distante do zênite  - para objetos com declinação entre 0 e 30 graus Sul;

Foram selecionadas 16 cidades pelo critério de população acima de 1.000.000 de habitantes:

 

CAPITAIS POPULAÇÃO DENSIDADE
    Hab/Km2
São Paulo 11.253.000 7.387
Rio de Janeiro 6.320.000 5.265
Salvador 2.675.000 3.859
Brasília 2.570.000 444
Fortaleza 2.452.000 7.686
Belo Horizonte 2.375.000 7.167
Manaus 1.802.000 158
Curitiba 1.751.000 4.024
Recife 1.537.000 7.037
Porto Alegre 1.409.000 2.837
Belém 1.393.000 1.315
Goiânia 1.302.000 1.776
São Luiz 1.014.000 834

 

 

OUTRAS CIDADES    
     
Guarulhos – SP 1.222.000 3.828
Campinas – SP 1.080.000 1.358
São Gonçalo – RJ 1.000.000 4.035

 

 

Divisão em dois grandes grupos:

1 - Observações a olho nu - Objetos fixos (estrelas não variáveis);

 

2 - Observações com equipamento - com magnitudes visuais compatíveis para cada abertura. Para enviar observações com equipamento o observador deverá possuir qualquer binóculo com abertura entre 35mm a 100mm ou algum telescópio que possa ser diafragmado para 100mm mantendo um aumento de 50x;

 

      2a - Objetos puntuais fixos (estrelas não variáveis) em construção;

 

     2b - Objetos puntuais transitórios (asteróides);

 

     2cObjetos difusos fixos (Galáxias, Nebulosas Planetárias e Agl. Globulares)

 

     2d - Objetos difusos transitórios (Cometas) - critério e avaliação feita pela Rea/cometas;

 

 

 

 

Detalhamento das atividades

 

 

1 - OBSERVAÇÕES A OLHO NU - observar as constelações que trafegam na região do zênite (para Brasil): Virgo / Ophiucus / Canis Major / Orion / Lupus / Cetus / Libra / Scorpius / Sagitarius / Capricornius.

Identificar, mensalmente, as estrelas entre magnitude visual 4 e 6. Os valores mais altos indicarão uma menor poluição local.

Alvos iniciais: para magnitudes de 4,07; 4,39; 4,15 e 4,54;

mag 01

 

Alvos intermediários: 4,78; 4,81; 4,96 e 4,94;

mag 02

 

Alvos em Sagittarius e Scorpius;

SCO

 

____________________________________________________________________

 

2 - COM EQUIPAMENTO

      2a - puntuais fixos (estrelas); ainda a definir (análise de estrelas nos aglomerados: M43 / M41/ M93); As cartas poderão ser disponibilizadas para cada caso;

 

     2b - puntuais transitórios (asteróides); identificação do objeto seguido da estimativa de magnitude visual por comparação com estrelas fixas na vizinhança. A observação deverá ocorrer no período de oposição de cada asteróide;

         ASTERÓIDES - CERES / PALLAS / JUNO / VESTA / FLORA / HYGIEA;

                                    - VICTORIA / EGERIA / IRENE / PSYCHE / EUNOMIA;

 

     2c - difusos fixos - simples identificação do objeto na ocular: sim / não;

 

     GALÁXIAS - NGC 4697 / NGC 3115 / M83 / M77 / M104 / NGC 1097 / NGC 247 / NGC 4699

     AGLOMERADOS GLOBULARES - M2 / M30 / M22 / M4 / M28 / M80 / M68 / M12 / M19

       
    2d - difusos transitórios - COMETAS - a definir pela REA/cometas;

Baixe aqui a tabela atualizada para monitoração da poluição em sua cidade usando globulares, asteróides e galáxias como referência.

 

Dados da observação

 

1 - nome do observador;

2 - equipamento utilizado (ou olho nu);

3 - objeto observado, positivado;

4 - objeto invisível, negativado;

5 - Local, data, hora local e universal;

6 - estimativa de magnitude no caso de asteróides;

 

NOTAS

A - Será formado um quadro com observações periódicas – 12 meses para cada local;

B - Uma vez colhidos os resultados será feita a redução dos dados para uma classificação geral criando uma escala comparativa entre as cidades;

C - Os valores obtidos seriam estimativas. Deve-se considerar que o grau da subjetividade da interpretação humana e as diferenças entre a qualidade óptica dos equipamentos fazem parte do erro;

D - Poderão surgir variações dentro de uma mesma cidade devido a concentração de poluentes (excesso de luz ou fumaça);

E - Para aberturas maiores que 114mm (4,5 pol) deverá ser feita diafragmação da objetiva do equipamento para adequação aos valores propostos para abertura de 100mm. Para refletores deve se colocar um valor a mais no diâmetro para compensar a obstrução do espelho secundário;

F - Para telescópios com foco de 1000mm deve-se usar uma ocular de 20mm e para focos de 1200 ou 1250mm deve usar uma ocular de 25mm para atingir aumentos próximos a 50x. Para outros casos especiais recomenda-se o uso de uma ocular com zoom para alcançar uma relaçao de 50x100mm;

G - Deve-se ignorar objetos negativados quando em presença de Lua Cheia ou Lua Crescente e refazer a observação, nestes casos, sem a presença da Lua;

H - Recomenda-se, para telescópios, utilizar relações focais curtas (F/4 a F/7) para que se consiga adequar os valores propostos para abertura e aumento aqui exigidos;